UNIVERSALIZAÇÃO – Sanepar investe R$ 54,1 milhões em obras na região de Campo Mourão

Sanepar investe R$ 54,1 milhões em obras na região de Campo Mourão.Foto: Sanepar.
Sanepar investe R$ 54,1 milhões em obras na região de Campo Mourão.Foto: Sanepar.

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) está investindo em obras nos sistemas de abastecimento e em esgotamento sanitário em 13 municípios da região de Campo Mourão, no Noroeste do Estado. São R$ 54,1 milhões entre obras em execução, concluídas entre 2011 e 2013 e, também, com recursos assegurados para investimento nos próximos dois anos.

Dos recursos aplicados, mais de R$ 28,6 milhões são para a universalização do sistema de abastecimento público de água e os outros R$ 25,4 são investimentos na ampliação da cobertura com rede coletora de esgoto.

Campo Mourão tem quatro frentes de trabalho só no sistema de esgoto. Juntas, elas vão acrescentar mais 41 quilômetros de rede coletora, beneficiando 2.561 famílias. Esses moradores – mais de 8.500 pessoas – residem no Conjuntos Habitacionais Milton Luiz Pereira, Lar Paraná, Jardim Araucária, Tropical II, Cidade Nova, Diamante Azul, entre outros bairros.

Entre 2011 e 2013, Campo Mourão recebeu R$ 2 milhões em obras de esgoto, que ampliaram em mais 32 quilômetros a rede coletora e atenderam mais 1.629 imóveis.

Na região de Campo Mourão, até 2016, os recursos vão ultrapassar R$ 34,3 milhões, sendo que R$ 9,2 milhões serão aplicados no sistema de esgoto. As obras previstas irão beneficiar municípios como Campina da Lagoa, Campo Mourão, Iretama, Moreira Sales, Terra Boa e Ubiratã.

MAIS OBRAS – Os municípios de Araruna e Goioerê também têm o sistema de esgotamento ampliado. Em Araruana o investimento é de R$ 3,7 milhões para efetivar 1.186 ligações com 22 quilômetros de rede, obras que devem ser concluídas até abril de 2014. Em Goioerê já estão finalizadas as obras que beneficiam 31 famílias com 447 metros de rede coletora.

O saneamento rural do Bairro Cinzano, em Moreira Sales, recebeu, em 2013, obras de reforço no sistema de água. A Sanepar trabalha agora na implantação da estação de tratamento de esgoto no município. Para isso está investindo, em parceria com a prefeitura municipal, R$ 625 mil. Outros R$ 952 mil estão sendo aplicados na construção do reservatório de água, com capacidade para 500 mil litros, obra que será concluída no primeiro semestre de 2016.

Terra Boa recebeu investimentos de mais de R$ 420 mil, em 2013, para ampliação do sistema de esgotamento. Em parceria com a prefeitura, a Sanepar executou 8 quilômetros de rede, beneficiando quase 1.200 habitantes.

Em Ubiratã, somente em 2013, a Sanepar investiu nos dois sistemas. Em esgotamento sanitário foram ampliadas as redes coletoras em mais de 10 quilômetros e executadas 488 ligações prediais. O investimento foi de R$ 1,2 milhão. Para o sistema de abastecimento, a cidade recebeu mais R$ 511 mil.

Fonte: AEN – Agência Estadual de Notícias

MOMENTO SABOROSO – Kibe de Queijo

Kibe de Queijo.
Kibe de Queijo.

Ingredientes

Massa

2 xícara(s) (chá) de trigo para kibe
1 unidade(s) de cebola ralada(s)
2 unidade(s) de cenoura ralada(s)
1/2 xícara(s) (chá) de queijo ralado
1/2 xícara(s) (chá) de hortelã picada(s)
2 colher(es) (sopa) de Óleo de soja

Recheio

3 unidade(s) de tomate picado(s), sem pele(s), sem sementes
1 unidade(s) de cebola picada(s)
1 unidade(s) de pimentão vermelho picado(s)
1 dente(s) de alho picado(s)
200 gr de mussarela em fatias
1/2 xícara(s) (chá) de salsinha picada(s)
quanto baste de sal

Montagem

Quanto baste de shoyu para pincelar

Como fazer

Massa

Lave bem o trigo, deixe de molho por 1 hora e a seguir, esprema bem.
Misture a cenoura, a cebola, o queijo ralado, a hortelã, o trigo, o óleo, o sal e a pimenta.
Mexa bem. Reserve.

Recheio

Coloque em um refratário os tomates, a cebola, o pimentão, o alho, a salsinha e o sal.
Tampe e leve ao microondas por 4 a 5 minutos na potência alta. Reserve.

Montagem

Disponha em um refratário metade da massa reservada.
Coloque por cima o recheio e as fatias de mussarela.
Cubra com o restante da massa.
Corte ligeiramente (1cm) em losangos.
Pincele com shoyu.
Tampe e leve ao microondas por 10 minutos na potência alta.

Dicas

Unte o refratário para facilitar na hora de servir o kibe.

Retirado do Site: www.cybercook.com.br

PRESERVAÇÃO AMBIENTAL – Sugestão de aluna paranaense pode virar lei federal

A aluna Maria Cristiane Andrade, do Colégio Estadual Professora Ivone Soares Castanharo, de Campo Mourão, participa do Programa Jovem Senador.Foto: Divulgação SEED.
A aluna Maria Cristiane Andrade, do Colégio Estadual Professora Ivone Soares Castanharo, de Campo Mourão, participa do Programa Jovem Senador.Foto: Divulgação SEED.

A sugestão de preservação ambiental e valorização das populações tradicionais elaborada com a participação da Jovem Senadora do Paraná Maria Cristiane Andrade, aluna do Colégio Estadual Professora Ivone Soares Castanharo, em Campo Mourão, pode se transformar em proposta de lei federal.

A aluna participa do programa Jovem Senador e sua sugestão foi uma das seis selecionadas no País e encaminhadas à Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa. Se for aceita, passará a tramitar no Senado como projetos, podendo ser transformadas em lei se forem aprovadas pelo Senado e pela Câmara dos Deputados.

O texto de Maria Cristiane sugere a popularização da construção de reservatórios artificiais para armazenamento da água e para abastecimento em períodos de pouca chuva em áreas críticas. Estabelece ainda que o poder público deve estimular a iniciativa privada a desenvolver ações de sustentabilidade, como o uso de sacolas reutilizáveis.

Maria Cristiane explicou que os alunos foram divididos em três comissões: Educação, Meio ambiente e Direitos humanos, de acordo com os projetos individuais criados. Cada equipe teve de elaborar propostas que contemplasse a temática da comissão.

Para a aluna, que participou pela primeira vez do Jovem Senador, foi uma experiência marcante. “Aprendi muito sobre o funcionamento do Senado e desmistifiquei a visão que tinha sobre o Plenário”, comentou.

PROGRAMA - O Jovem Senador é um projeto anual, que proporciona aos estudantes do ensino médio das escolas públicas estaduais e do Distrito Federal, de até 19 anos, conhecimento acerca da estrutura e do funcionamento do Poder Legislativo no Brasil.

A cada ano é proposto um tema de redação como forma de ingresso. Em 2014, a temática foi “Se eu fosse senador…”. Os autores das 27 melhores redações – um por unidade da Federação – são selecionados para vivenciar, em Brasília, o processo de discussão e elaboração das leis do País, ao simularem a atuação dos Senadores da República. A legislatura tem duração de três dias.

Os vencedores recebem medalhas, certificados e notebooks como prêmios. Os três primeiros colocados em âmbito nacional também ganham troféus e computadores para suas escolas. Os professores-orientadores dos alunos na elaboração da redação e que acompanham os jovens senadores na atuação simulada como senador da República recebem tablets.

O projeto conta com o apoio do Ministério da Educação, do Conselho Nacional de Secretários de Educação e das secretarias de Educação dos estados e Distrito Federal.

Os interessados em participar do concurso neste ano já podem começar a pensar sobre o que irão escrever. O tema será “Participação política no Parlamento, nas ruas e nas mídias sociais”.

Mais informações na página do projeto: www12.senado.leg.br/jovemsenador

Fonte: AEN – Agência Estadual de Notícias

EQUIPE – Governador nomeia secretários de Estado

Governador Beto Richa é empossado no Palácio Iguaçu. Curitiba, 01/01/2015. Foto: Pedro Ribas/ANPr
Governador Beto Richa é empossado no Palácio Iguaçu. Curitiba, 01/01/2015. Foto: Pedro Ribas/ANPr

O governador Beto Richa nomeou na quinta-feira (01), durante a cerimônia de posse no Palácio Iguaçu, os secretários que irão compor a equipe de governo para a próxima gestão. A nova administração terá 17 Secretarias de Estado, além dos órgãos de assessoria e apoio técnico e as empresas públicas. Richa ressaltou que fez uma análise criteriosa dos nomes que irão auxiliá-lo na administração e que todos os órgãos e secretarias devem cumprir metas ousadas em benefício da população paranaense.

CONFIRA O CURRÍCULO DOS NOVOS SECRETÁRIOS:

Secretarias de Estado (17 secretarias)

Administração e Previdência

Dinorah Botto Portugal Nogara – Graduada em Administração pela Universidade Federal do Paraná, especialista em Gestão Pública, Políticas Econômico-Financeiras e Planejamento Estratégico. Funcionária pública municipal desde 1983. Na Prefeitura de Curitiba, foi secretária de Administração, Finanças e de Recursos Humanos e presidente do Instituto de Previdência e a Companhia de Desenvolvimento de Curitiba (CIC-SA) e superintendente do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap). No Governo do Paraná, foi assessora da Secretaria do Planejamento e Coordenação Geral. É natural de Curitiba.

Agricultura e Abastecimento

Norberto Anacleto Ortigara – Economista e técnico agrícola, desde 1979 é funcionário público de carreira da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, onde foi pesquisador, analista de mercado, diretor, diretor geral e secretário adjunto. Foi membro dos Conselhos de Administração da Emater-PR, do Ceasa-PR, da Claspar e da Codapar. Foi secretário municipal do Abastecimento de Curitiba. É natural de Seberi (RS).

Casa Civil

Eduardo Francisco Sciarra – Nascido em Londrina, em 1952, é graduado em Engenharia Civil na Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), de São Paulo. Foi presidente da Associação Comercial de Cascavel e, entre 1998 e 2002, assumiu a secretaria de Indústria, Comércio e Turismo do Paraná. Foi eleito deputado federal por três mandatos. Sciarra é um dos deputados paranaenses mais ativos na defesa do desenvolvimento econômico e social do estado. Presidiu a Frente Parlamentar em Defesa da Infraestrutura e a Comissão de Desenvolvimento Urbano.

Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

João Carlos Gomes – É graduado em Odontologia, mestre e doutor em Dentística Restauradora. Desde 1979, João Carlos integra o corpo docente do curso de Odontologia da UEPG, onde é professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Odontologia da instituição (mestrado e doutorado). É acadêmico titular da Academia Brasileira de Odontologia e da Academia Paranaense de Odontologia. Foi reitor da UEPG e presidente da Associação Brasileira de Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), além de secretário Municipal de Educação e de Planejamento de Ponta Grossa. É natural de Santo Antonio da Platina

Comunicação Social

Marcelo Simas do Amaral Cattani – Graduado em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), com pós-graduação em Marketing de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Foi diretor de marketing corporativo do Grupo Inepar, diretor de marketing da Fundação Cultural de Curitiba, presidente do Fundo Municipal de Cultura e diretor de marketing da Prefeitura de Curitiba. Foi secretário municipal de Comunicação Social de Curitiba.

Cultura

Paulino Viapiana – Jornalista formado pela Universidade Federal do Paraná, pós-graduado em Marketing e MBA Team Management pela Fundação Getúlio Vargas. Foi presidente da Fundação Cultural de Curitiba de 2005 a 2010 e membro diretor do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes de Cultura das Capitais.

Esporte e Turismo

Douglas Fabrício – Formado em Administração, pós-graduado em Recursos Humanos e Desenvolvimento Gerencial, é também professor universitário. Trabalhou por 13 anos na Coamo e foi instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e consultor no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Duas vezes deputado estadual, segundo vice-presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, líder das frentes de defesa das Micro e Pequenas Empresas e das Santas Casas. É autor de leis que declaram como utilidade pública entidades de apoio ao turismo e instituições de ensino que promovem a prática esportiva com crianças de famílias de baixa renda.

Desenvolvimento Urbano

Ratinho Junior – Carlos Roberto Massa Junior nasceu em Jandaia do Sul. É formado em Marketing e Propaganda, pela Faculdade Internacional de Curitiba (Facinter), com Pós-Graduação em Direito de Estado, pela PUC de Brasília. Tem cursos de especialização em Administração Tributária e Reforma Fiscal e Sociedade (em Madri, Espanha), e em Saúde e Educação em Órgãos de Governo (em Havana, Cuba), entre outros. Na vida pública, foi deputado estadual e deputado federal por dois mandatos. Em 2013, assumiu a Secretaria do Desenvolvimento Urbano do Paraná. Atualmente, é deputado estadual eleito com 300 mil votos.

Educação

Fernando Xavier Ferreira - Nasceu em Ponta Grossa em 1949. É graduado em Engenharia Elétrica, opção Telecomunicações, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de janeiro, em 1971. Cursou o Management Training Course da Escola de Business Administration da Western Ontario University (Canadá) em 1982. Foi presidente da Telecomunicações do Paraná, diretor geral brasileiro da Itaipu Binacional e presidente da Telecomunicações Brasileiras. Foi também professor da Universidade Federal do Paraná.

Fazenda

Mauro Ricardo Costa - Auditor fiscal e com 52 anos de idade, Costa nasceu em Niterói RJ e é formado em Administração de Empresas. Foi secretário das Finanças da prefeitura de São Paulo de 2003 a 2004 e de 2011 a 2012, secretário estadual da Fazenda de São Paulo de 2007 a 2010 e secretário das Finanças de Salvador nos dois últimos anos. Ele também foi superintendente da Zona Franca de Manaus; presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e presidente da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa).

Infraestrutura e Logística

José Richa Filho – Engenheiro civil pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, pós-graduado pela Sociedade Paranaense de Ensino e Informática. Foi diretor administrativo e financeiro do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) do Paraná e diretor administrativo-financeiro da Agência de Fomento do Paraná S.A. Foi secretário Municipal de Administração da Prefeitura de Curitiba. É natural de Londrina.

Justiça, Cidadania e Direitos Humanos

Maria Tereza Uille Gomes – Formada em Direito pela UEL, pós-graduada em Direito Processual Penal pela PUC/PR e em Direito Administrativo pelo Instituto de Direito Romeu Bacellar. É mestre em Educação pela PUC/PR e doutora em Sociologia pela UFPR. Ex-procuradora geral de Justiça do Paraná, foi a primeira mulher a assumir a Procuradoria-Geral de Justiça do Estado e a Associação Paranaense do Ministério Público (APMP). É presidente do Consej (Conselho Nacional de Secretários Estaduais da Justiça, Cidadania, Direitos Humanos e Administração Penitenciária); Conselheira do CNPC (Conselho Nacional de Previdência Complementar); diretora presidente da Jusprev (Previdência Associativa do Ministério Público e da Justiça Brasileira), entidade que congrega 55 Associações de Classe de Carreiras Jurídicas Públicas do Brasil.

Planejamento e Coordenação Geral

Silvio Magalhães Barros - Engenheiro Civil com especialização em engenharia sanitária e ambiental, Silvio foi prefeito de Maringá por dois mandatos (2005/2012), secretário de Esportes e Turismo do Paraná, Secretário de Turismo do Amazonas, sub-secretário de Turismo e Serviços do Ministério da Indústria, Comércio e Turismo.

Saúde

Michele Caputo Neto – Farmacêutico, servidor público da Secretaria de Estado da Saúde desde 1985. Foi chefe de gabinete da Fundação Nacional de Saúde, chefe da Vigilância Sanitária Estadual, diretor geral do Centro de Medicamentos do Paraná e diretor dos Órgãos Produtores de Insumos e Imunobiológicos da Secretaria de Estado da Saúde. No Município de Curitiba, foi duas vezes secretário Municipal de Saúde e secretário Municipal de Assuntos Metropolitanos. É natural de Maringá.

Meio Ambiente e Recursos Hídricos

Ricardo José Soavinski - nascido em Maringá em 1963, Ricardo é oceanógrafo e analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão ambiental do governo federal. Sua atuação sempre foi voltada a pesquisa e conservação da natureza, tendo trabalhado em várias regiões do Brasil. Coordenou vários programas e projetos no IBAMA, Ministério do Meio Ambiente e ICMBio em cooperação com diversos organismos internacionais. Entre os cargos em que ocupou ao longo de sua carreira, destacam-se o de Diretor de Ecossistemas do Ibama, assessor especial do Ministério do Meio Ambiente e diretor de Unidades de Conservação do ICMBio.

Segurança Pública e Administração Penitenciária

Fernando Francischini - Formado em Direito pela Universidade do Distrito Federal, é delegado da Polícia Federal e tem especialização em planejamento operacional, repressão ao tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em organizações internacionais – cursos realizados em instituições como a Drug Enforcement Administration (DEA), Immigration and Customs Enforcement (ICE) e Interpol. Francischini foi oficial do Exército Brasileiro e da Polícia Militar do Paraná, quando comandou a Rone e o COE – Grupos Especiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). Em 2008, junto com o então prefeito de Curitiba Beto Richa, criou a primeira Secretaria Municipal Antidrogas do país. Em 2010, foi eleito com mais de 130 mil votos em sua primeira candidatura a deputado federal. Em 2014, reeleito novamente para o cargo.

Trabalho e Desenvolvimento Social

Fernanda Richa - Bacharel em Direito e desde 2005 mantém o desafio de trabalhar pela política de Assistência Social. Sua primeira experiência aconteceu em Curitiba, quando presidiu a Fundação de Ação Social (FAS). No cargo até junho de 2010, Fernanda concentrou seus esforços na população mais vulnerável, atuando de forma descentralizada e cada vez mais perto de quem mais precisava de proteção social. A experiência na capital paranaense e o bom resultado alcançado lhe credenciaram a assumir, em janeiro de 2011, a Secretaria da Família e Desenvolvimento Social. Entre as várias ações desenvolvidas na área, Fernanda implantou o Família Paranaense, programa estratégico que visa o desenvolvimento e a promoção social das famílias que vivem em maior situação de vulnerabilidade e risco no Paraná. Durante quatro anos, Fernanda foi responsável pelas políticas estaduais de Assistência Social e de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente.

ASSESSORIAS

Assuntos Estratégicos

Flávio José Arns – É formado em Letras e em Direito e Ph.D em Linguística pela Universidade Northwestern, dos Estados Unidos. Engajado na causa das pessoas com deficiência, tornou-se um dos nomes de destaque nessa área no cenário nacional e internacional. Na vida política, já foi deputado federal, senador, vice-governador e secretário da Educação no Estado entre 2011 e 2014.

Cerimonial e Relações Internacionais

Ezequias Moreira Rodrigues – Participa de movimentos sociais e políticos desde os seus 15 anos, como a reconstrução da Upes e UNE e foi, durante três anos, presidente do PMDB Jovem no Paraná. Foi um dos fundadores do Movimento pela Anistia no Paraná e participou dos Movimento Brasileiro pela Anistia e Diretas Já. Foi assessor especial do governador José Richa e seu secretário parlamentar na Assembleia Nacional Constituinte. Foi chefe de Gabinete do Prefeito Beto Richa e diretor de Relações com Investidores da Sanepar, onde é funcionário de carreira há 32 anos. É natural de Centenário do Sul.

Chefia de Gabinete

Deonilson Roldo – Jornalista, foi repórter do jornal Folha de S. Paulo, diretor da sucursal do jornal Folha de Londrina em Curitiba, secretário de Estado de Comunicação Social, secretário municipal de Comunicação de Curitiba e chefe de Gabinete do prefeito Beto Richa. Nasceu em Pato Branco.

APOIO TÉCNICO

Casa Militar

Coronel Adilson Castilho Casitas – Ingressou na Polícia Militar em 1980. Graduado em História, com especialização em Administração Policial, Ciência Política e Desenvolvimento Estratégico e Estratégias em Segurança Pública. Foi subcomandante do 10º BPM de Apucarana, subcomandante do 4º BPM de Maringá, comandante do 4º BPM de Maringá e diretor de Apoio Logístico da Polícia Militar do Paraná. Natural de Marialva, Norte do Paraná.

Controladoria Geral do Estado

Carlos Eduardo de Moura – Formado em Direito pela Faculdade de Direito de Curitiba, é mestre em Direito Administrativo pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) e especialista em Gestão Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Desempenhou a função de Inspetor de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado do Paraná, onde ingressou por concurso público para a carreira de Assessor Jurídico.  

Procuradoria Geral do Estado  

Ubirajara Ayres Gasparin - Formado em Direito pela Universidade Federal do Paraná em 1983, com mestrado na área pela mesma instituição, é procurador do Estado desde 1986. Foi professor de Direito Administrativo e Direito Constitucional na Escola da Magistratura do Estado do Paraná e professor da Faculdade de Direito da Universidade Tuiuti do Paraná.

EMPRESAS Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina

Luiz Henrique Tessutti Dividino - Administrador de empresas, Luiz Henrique Dividino é natural de Curitiba e tem 50 anos de idade. Possui MBA em logística e em gestão empresarial e diversos cursos de especialização em portos europeus. Há 26 anos atua no setor portuário, tendo passado por empresas públicas de privadas. Na APPA foi responsável, no início dos anos 2000, por implantar o sistema Carga Online. Trabalhou no projeto no desenvolvimento dos empreendimentos de Pontal do Paraná e na revitalização do Porto de Antonina. É diretor presidente dos portos paranaenses desde março de 2012.

Companhia de Habitação do Paraná – Cohapar

Abelardo Luiz Lupion Mello – Formado em Contabilidade e Direito pela Universidade Mackenzie de São Paulo. É empresário, agropecuarista e foi, por seis mandatos, deputado federal. Lupion nasceu em Curitiba em 1952.

Companhia Paranaense de Energia – Copel

Luiz Fernando Leone Vianna – Já trabalhou na Copel de 1978 até 2002, quando foi para a Apine (Associação Brasileira dos Produtores Idependentes de Energia Elétrica). Na companhia exerceu os cargos de diretor presidente da Copel Geração S.A e diretor de Relações Institucionais da Companhia Paranaense de Energia – Copel (holding). Também foi coordenador do Fórum de Meio Ambiente do Setor Elétrico (Fmase). Leone Vianna é atualmente o presidente da Apine. Luiz Fernando Leone Vianna é administrador de Empresas formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Engenheiro Eletricista também pela UFPR. É pós-graduado pela UFPR.

Companhia Paranaense de Gás – Compagas

Fernando Eugênio Ghignone - Iniciou as atividades públicas em 1983 como secretário da Cultura, Esporte e Turismo do Estado do Paraná, permanecendo no cargo até 1986. Foi presidente dos Conselhos Estaduais de Cultura, Esporte, Turismo, Fundação Teatro Guaíra e Celepar. Nesse período, foi responsável pela criação da Orquestra Sinfônica do Paraná e também pelo tombamento da Serra do Mar no Estado do Paraná. Ainda em 1986, na gestão do ministro Celso Furtado, foi secretário de Atividades Sócio Culturais do Ministério. Nos dois anos seguintes, foi presidente da Embrafilme S.A., quando reorganizou e saneou as finanças da empresa. Em apenas 18 meses de gestão na Embrafilme, Ghignone viabilizou mais de 200 produções cinematográficas, entre curtas, longas-metragens e documentários. Em 2005, atuou como secretário municipal de Comunicação Social da Prefeitura de Curitiba. Foi diretor de Transportes da Urbs e, em janeiro de 2011, assumiu a presidência da Sanepar.

Companhia de Saneamento do Paraná – Sanepar

Mounir Chaowiche – É administrador de empresas com especialização em consultoria empresarial e gestão pública. É funcionário de carreira da Caixa Econômica Federal, onde foi gerente e superintendente em diversos municípios do Paraná. Presidiu a Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) de 2006 a 2010. Pela segunda vez preside a Associação Brasileira de Cohabs e Agentes Públicos de Habitação (ABC). É natural de Joaquim Távora.

Fonte: AEN – Agência Estadual de Notícias

Campo Mourão – Empossada a nova mesa executiva do Legislativo

Integrantes da Nova Mesa Executiva da Câmara de Vereadores de Campo Mourão  (foto Divulgação).
Integrantes da Nova Mesa Executiva da Câmara de Vereadores de Campo Mourão
(foto Divulgação).

Foi empossada na manhã desta sexta-feira (2/1), a mesa executiva da Câmara de Vereadores de Campo Mourão para o biênio 2015-2016, que volta a ser presidida – pela quinta vez – por Eraldo Teodoro de Oliveira (PMDB). A sessão aconteceu no Plenário Vereador José Pereira Carneiro e teve a presença de populares, autoridades, familiares dos vereadores e outros convidados.

Eleita na última sessão ordinária do ano passado, em dezembro, a nova mesa executiva está assim composta: Presidente – Eraldo Teodoro de Oliveira (PMDB); 1º vice-presidente – Edson Lima (PPS); 2º vice-presidente – Jorge Pereira (PR); 1º secretário – Edílson Martins (PSD) e 2ª secretária – Elvira Schen (PPS).

A sessão de posse contou com a presença de ­­­­nove vereadores. Além dos cinco integrantes da nova mesa executiva, participaram da solenidade os vereadores Toninho Machado (PR), Olivino Custódio (PR), Sidnei Jardim (PPS) e Edson Battilani (PPS). Os vereadores que não compareceram formalizaram a justificativa da ausência. Já a ausência da prefeita Regina Dubay – que sequer enviou ofício ao Poder Legislativo – foi criticada pelo vereador Sidnei Jardim.
A mesa executiva foi totalmente renovada.

Pronunciamento
Eraldo Teodoro iniciou o pronunciamento como novo presidente do Poder Legislativo de Campo Mourão agradecendo a população “que nos colocou como seu representante”, acentuou. Em seguida agradeceu aos vereadores pela oportunidade de presidir novamente a Câmara Municipal.

Ressaltou o novo presidente que os vereadores devem atuar como animadores sociais “procurando conscientizar o povo da força que tem e não conhece, de sua capacidade construtiva. Afinal, da ideia de que tudo é construído pelo trabalho e que juntos poderemos transformar não só Campo Mourão, mas também nosso Estado e nosso País”, destacou.

Em outro trecho do pronunciamento, Teodoro citou a bajulação dos tecnocratas que detêm o poder sobre a população “e a ela não prestam conta dos desmandos cometidos em seu nome”, acentuou. Aproveitou ainda para apresentar uma alternativa: “Não se pode fazer pelo povo sem o povo, da mesma forma prega no vazio quem utiliza o conceito povo em épocas rituais, nas datas festivas, quer sejam nacionais ou municipais, em inaugurações públicas por politiqueiros ávidos de poder, que falam do povo, mas badalam a elite”.

Também falou sobre a questão em Campo Mourão. “Em Campo Mourão teremos que mudar a prática e o estilo ao mencionar o povo ou fazer pelo povo. Realizar uma prática democrática fundada num estilo administrativo em que a mobilização popular e a participação direta do povo, dos diretamente interessados nas decisões, constituem a característica fundamental. Só assim estaremos rompendo com esta mistificação: ao estimularmos a força do povo como base da ação social”.

No início no discurso, Eraldo Teodoro pregou “O consenso, em lugar do confronto. A concórdia, em vez do dissenso. A compreensão e o entendimento substituindo a discórdia. Estas têm sido as práticas desta Casa quando a dirijo”. Já no encerramento do pronunciamento anunciou “iremos estabelecer novas maneiras e meios de trabalho daqui para frente, usando todos os meios e sistemas de última geração no que diz respeito as ferramentas modernas para o fim precípuo de economia, agilidade, transparência e respeito à população no desenvolvimento dos trabalhos desta Casa de Leis”.

Fonte: Antonio Luiz de Matos

 

Usina chinesa supera Itaipu como maior produtora de energia em 2014

(Foto: China Out/AFP)
(Foto: China Out/AFP)

A usina hidrelétrica de Três Gargantas da China, a maior infraestrutura desse tipo no mundo, superou Itaipu na produção de energia elétrica em 2014, segundo informações da agência de notícias EFE.

Dados divulgados pela Corporação de Três Gargantas, responsável pela gestão do local, e reproduzidos pela agência oficial ‘Xinhua’, mostram que foram produzidos 98,8 milhões de megawatts por hora (MWh) na usina em 2014, um novo recorde para o setor.

Já de acordo com a assessoria de imprensa de Itaipu, a segunda maior usina em capacidade instalada produziu pouco mais de 87,8 milhões de MWh, perdendo o primeiro lugar no ranking mundial conquistado consecutivamente em 2012 e 2013, ano em que registrou a marca de 98,6 milhões de MWh.

Três Gargantas tem uma capacidade instalada de geração de 22,5 mil MWh de energia elétrica, frente aos 14 mil MWh de Itaipu.

Ainda conforme a EFE, a Corporação das Três Gargantas explicou que a energia produzida equivale a uma economia de 49 milhões de toneladas de carvão, que continua sendo a principal fonte de energia da China, evitando também a emissão de 100 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera.

Idealizada por Mao Tse-tung ainda nos anos 50 para acabar com o déficit energético de Xangai, a usina chinesa só começou a ser construída em 1993 e suas obras foram finalizadas 17 anos depois. Apesar disso, a represa é criticada pelos danos ambientais causados, pelas desapropriações e perdas patrimoniais causadas pelas obras.

A instalação perdeu o posto de maior obra hidráulica do mundo para outro projeto chinês de concepção maoísta, chamado de transposição Sul-Norte. A ideia é abastecer todas as regiões do país, incluindo a capital Pequim, com as águas do rio Yang Tse. (Fonte: G1)

Retirado do Site: www.ambientebrasil.com.br
O Melhor site ambiental do país

logo_ab

Tecnologia Verde – Spray de baixo custo transforma qualquer superfície em célula fotovoltaica

O sistema foi feito com materiais simples.  Foto :Divulgação
O sistema foi feito com materiais simples.
Foto :Divulgação

Em um futuro próximo é possível que as células fotovoltaicas sejam tão comuns, que serão vendidas em spray e com baixo custo. Pelo menos este é o cenário visualizado pelo pesquisador canadense Illan Kramer, da Universidade de Toronto.

O cientista trabalha no desenvolvimento de um spray que transforma quase todas as superfícies em captadores solares. “Meu sonho é que um dia você tenha dois técnicos com mochilas nas costas, chegando à sua casa para pulverizar o seu telhado”, informou Kramer sobre a facilidade no uso da tecnologia.

Conforme informado pelos pesquisadores, a tecnologia, que utiliza pontos quânticos colidais, poderia ser aplicada em uma película flexível e usada para revestir todos os tipos de superfície, mesmo as mais inusitadas, como uma mobília ou a asa de um avião.

A tecnologia foi apelidada de sprayLD e pode ser altamente eficiente, devido à sua praticidade. Usá-la para cobrir o teto de um carro, por exemplo, geraria energia suficiente para abastecer 24 lâmpadas fluorescentes compactas.

O sistema foi feito com materiais simples, pois a intenção dos pesquisadores é torná-lo acessível e barato, para que seja amplamente utilizado. Este é um passo importante para popularizar a energia solar, barateando os sistemas e produzindo energia limpa independente das redes de transmissão.

Redação CicloVivo

Retirado do Site: www.ciclovivo.com.br

logo_horizontal

Impunidade – Após morte de cães envenenados, ONGs cobram delegacia de animais

Animais morrem após serem envenenados no Neafa, em Maceió (Foto: Michelle Farias/G1)
Animais morrem após serem envenenados no Neafa, em Maceió (Foto: Michelle Farias/G1)

Carnes envenenadas dentro de ONGs que cuidam de cães e gatos que foram retirados das ruas. Este é o cenário que assusta entidades protetoras dos animais em Alagoas. Neste ano, dois casos de envenenamento foram registrados no estado. O último aconteceu no dia do Natal, quinta-feira (25), no Núcleo de Educação Ambiental Francisco de Assis (Neafa), que registrou a morte de onze cães. As entidades também cobram o governo para que a delegacia de proteção aos animais, que está desativada há anos, volte a funcionar.

Todos os animais que apresentaram problemas de saúde estavam no mesmo canil onde foram achados, segundo os veterinários do Neafa, vestígios de alimento envenenado. A equipe de voluntários, que montou uma força-tarefa para tratar os animais, acredita que o veneno foi lançado por cima de muro que fica trás da sede.

Na manhã de sexta-feira (26), foi confeccionado um Boletim de Ocorrência para registrar o fato na Central de Flagrantes. O caso foi encaminhado ao 4º Distrito da Polícia Civil, que ficou responsável pelas investigações.

Quatro câes ainda estão em estado grave no Neafa (Foto: Paula Nunes/G1)
Quatro câes ainda estão em estado grave no Neafa (Foto: Paula Nunes/G1)

Outro caso semelhante aconteceu em novembro quando sete cães do Projeto Acolher foram envenenados na sede da entidade, no bairro do Village Campestre II, em Maceió. Dos sete animais, cinco morreram. Eles comeram uma substância conhecida como “‘chumbinho”, cuja venda é proibida.

As mortes por envenenamento revoltaram entidades protetoras no estado principalmente pela falta de punição aos culpados. Segundo a fundadora e presidente do Projeto Acolher, Naíne Teles, a entidade prestou depoimento em delegacia, mas não recebeu resposta sobre as investigações.

“Os casos são revoltantes. Tivemos muito apoio da sociedade e órgão de proteção aos animais, mas da parte da polícia nada foi resolvido. Quando fomos na delegacia comum percebemos que não há um preparo para cuidar desse tipo de caso e também que a alta demanda prejudica a investigação”, falou.

A situação registrada nas duas ONGs fez com que as entidades reforçassem a cobrança para a reativação da delegacia de proteção animal, que está fechada há anos em Alagoas. Em abril de 2011, o governo do Estado publicou uma Portaria, titulada como Lei Delegada 44, que, entre outras ações cria uma Delegacia Especializada no Combate aos Crimes Ambientais.

De acordo com a mensagem, aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado, o órgão deverá integrar a estrutura da Delegacia da Polícia Civil do Poder Executivo e atender à reivindicação de instituições governamentais e não-governamentais, preocupadas com a conservação da natureza.

Segundo o projeto de lei, “a delegacia pretende instituir, prevenir, reprimir e diligenciar, no intuito de apurar a autoria e a materialidade das infrações penais previstas no Código Penal, na Lei de Contravenções Penais e nas leis especiais, com exclusividade em Maceió, e concorrentemente com a Delegacia da circunscrição do local onde ocorrerem as infrações praticadas contra o meio ambiente e o equilíbrio ecológico”, diz o texto.

Apesar da publicação da lei, ela nunca saiu do papel. Alegando haver necessidade de atuação policial para apurar a responsabilidade criminal dos infratores, entidades defensoras do meio ambiente e dos animais organizam um abaixo-assinado e participaram de uma audiência pública para discutir o problema.

Uma delas foi o Grupo Vida Animal de Maceió (GVAM), formado por voluntários que atuam há oito anos em ações em benefício dos animais. Para a presidente do grupo, Luceli Mergulhão, a falta de punição faz com que os casos aumentem. “Quando o culpado não é encontrado, isso acaba sendo um incentivo a que outros casos aconteçam. É revoltante ver esses absurdos com cães que estão dentro de ONGs e nenhum culpado é punido”, desabafou.

Luceli acredita que existe uma dificuldade para as pessoas denunciarem porque não sabem onde buscar ajuda. “A pessoa é encaminhada para fazer o BO, mas quando chega nas delegacias o caso, na maioria das vezes, não é apurado. Temos relatos de muitas situações que a pessoa não quis ser testemunha e por isso ele não seguiu adiante”, falou.

Outra integrante do GVAM, Mônica Brasil da Silva falou que o grupo está tentando entregar o abaixo-assinado ao governador eleito Renan Filho (PMDB). “Vamos tentar que a nova gestão reative a delegacia para que casos como esses de envenenamento não aconteçam mais”, disse.
A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que não há previsão para que a delegacia especializada seja implantada devido a deficiência de pessoal e operacional.

Envenenamentos

O envenenamento dos cães do Neafa aconteceu na madrugada do dia 25. Voluntários denunciaram o envenenamento de 30 cães que estavam no canil da sede da instituição, que fica no bairro do Farol, em Maceió. Ainda no dia 25, oito animais não resistiram a dosagem do veneno aplicada nos alimentos jogados dentro do canil e morreram. Outros três animais morreram um dia depois.

Até a noite de sábado (27), quatro cães estavam em estado grave. Segundo informações da assessoria de comunicação do Neafa, os animais que foram envenenados comeram pedaços de carne que estavam misturados a alguma substância tóxica não identificada. O alimento teria sido lançado por uma pessoa, também não identificada, pela parte de trás do imóvel que abriga atualmente 77 animais.

No caso do Projeto Acolher, registrado no dia 12 de novembro desse ano, sete animais foram envenenados. Dos sete animais, quatro morreram no mesmo dia e um alguns dias depois. De acordo com Naíne Teles, nenhuma pessoa suspeita entrou na sede. Ela acredita que quem envenenou os cachorros deve ter jogado os pedaços de carne por cima do muro, já que ele é muito alto.

Fonte: G1
Retirado do Site: www.anda.jor.br

anda-logo-frase

96% das prefeituras estão no ‘cadastro negro’ e sem direito a verba federal

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) aponta que, 5.368 prefeituras — 96,4% do total– vão encerrar o ano com irregularidades listadas no Cadastro Único de Convênios (Cauc), da Secretaria do Tesouro Nacional. Em nota técnica divulgada nesta quarta-feira (3), a instituição diz que a lista leva em consideração aqueles que estão com alguma restrição até o mês de novembro.

Os municípios inscritos no cadastro ficam impedidos de receber transferências voluntárias da União. O cadastro funciona de forma similar à negativação do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) para pessoas físicas. As transferências voluntárias são aquelas para obras e investimentos e não incluem os repasses obrigatórios como Fundeb e FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

Veja quantas cidades estão inadimplentes por Estado:

• Acre – 22
• Alagoas – 101
• Amazonas – 62
• Amapá – 16
• Bahia – 416
• Ceará – 177
• Espírito Santo – 77
• Goiás – 240
• Maranhão – 213
• Mato Grosso – 75
• Mato Grosso do Sul – 75
• Minas Gerais – 832
• Pará – 143
• Paraíba – 221
• Pernambuco- 183
• Piauí- 220
• Paraná – 382
• Rio Grande do Norte – 167
• Rio de Janeiro – 92

• Roraima – 14
• Rio Grande do Sul – 454
• Santa Catarina – 266
• Sergipe – 74
• São Paulo – 603
• Tocantins – 136

Fonte: CVM

O percentual de novembro é o maior desde que os prefeitos tomaram posse, em janeiro de 2013. No mês em que assumiram, oito em cada dez prefeituras estavam na lista. Em outubro do ano passado, esse número havia caído para 70%.

O número apontado é 81% maior que a quantidade de inscritos em novembro passado, quando 2.965 estavam com pendências no cadastro. Os Estados do Acre,Amazonas, Amapá, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte têm todos os municípios na lista do Cauc, conforme a planilha da CNM. Em todos os demais Estados, o percentual de inscritos passa de 90%.

O levantamento mostra que 2.309 municípios têm apenas um item irregular. Outros 1.314 têm dois motivos para estarem listados no Cauc. Já 652 têm três itens pendentes, enquanto 1.093 estão em situação mais preocupante, com mais de três apontamentos no cadastro.

“A situação é preocupante no fim deste ano. A quantidade de municípios que estão com algum apontamento está crescendo demais. Este indicador é um termômetro da situação que se encontra a gestão das cidades brasileiras”, afirmou, na nota, o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski.

Como funciona:
O Cauc avalia quatro pontos obrigatórios aos municípios: adimplência financeira, prestação de contas de convênios, transparência e cumprimento de obrigações legais.

Segundo o especialista em planejamento e tributação municipal Alcides José de Omena Neto, na prática, os municípios que entram no cadastro ficam sem recursos federais para investimentos até a solução da pendência.

Ele afirma que a maioria dos casos são questões simples, de descumprimento de prazos, que levam as prefeituras à “lista negra” do Tesouro Nacional.

“Esse cadastro é muito dinâmico. Na prática, um atraso no INSS ou no FGTS ou em um formulário já põe o município no Cauc. Como esses compromissos vencem em dias diferentes, uma prefeitura pode estar
adimplente no dia 10 e no dia 20 ficar inadimplente. Muitas vezes um município deixa de mandar um desses itens por esquecimento e logo consegue sair. Mas existem aqueles que vivem no Cauc eternamente”, afirmou.

Segundo Neto, com a inclusão do nome no Cauc, a prefeitura deixa de receber as transferências voluntárias até sua exclusão, o que a deixa impedida também de tomar empréstimos. As transferências constitucionais, como os repasses do Fundeb, do Fundo de Participação dos Municípios e da cota de ICMS não são afetadas pelo ingresso no cadastro.

“As transferências voluntárias são os convênios, que não podem ser consolidados com União ou Estados. Por exemplo: a prefeitura vai fazer uma escola e quer fazer um convênio com FNDE [Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação]. Se estiver com uma pendência, não vai celebrar. E não tem jeito de burlar isso. Quem controla esse Cauc é o Tesouro Nacional e a Caixa Econômica Federal. As duas entidades preservam o cadastro com muito cuidado, pois as transferências são auditadas pelo TCU. Se o governo federal transferir a um município no cadastro, os dois gestores vão responder”, afirmou.

O MUNICÍPIO DE RONCADOR ESTÁ COM O CADASTRO REGULARIZADO

Tabela Prefeitura de Roncador. Todas as Certidões regularizadas.
Tabela Prefeitura de Roncador. Todas as Certidões regularizadas.

A Prefeitura de Roncador é uma das dezessete cidades do Estado do Paraná que está com sua situação regularizada. Todas as Certidões conseguidas.

Retirado do Site UOL-Maceió de Carlos Madeiro

Roncador – João Vinícius ganha sua segunda Medalha de Ouro na OBMEP

João Vinicius Primaki Prado, novamente Medalhista de Ouro da OBMEP - Foto de Jorge Tolim.
João Vinícius Primaki Prado, novamente Medalhista de Ouro da OBMEP – Foto de Jorge Tolim.

O aluno de Roncador, João Vinícius Primaki Prado, de 13 anos recebeu a grata notícia no dia 28 de novembro, que foi mais uma vez premiado com uma Medalha de Ouro na OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas). Com o resultado, João já é detentor de quatro medalhas, sendo: 2 de ouro, 1 de prata e 1 de bronze. Ele é aluno do Colégio Estadual General Carneiro.

João Vinicius Primaki Prado é natural de São José dos Campos – SP, mas desde 2,5 anos vive em Roncador, terra de sua mãe Josefa Primaki de Oliveira. Seu pai é o Jornalista Claudinei de Siqueira Prado, que é Vice-Presidente do Conselho Tutelar do Município e, também o Presidente da APASLA – Associação de Proteção aos Animais São Lázaro, uma OSCIP que se preocupa com os cães abandonados do Município de Roncador.

Ele frequenta as aulas do PIC – Programa de Iniciação Cientifica na UEM – Universidade Estadual de Maringá. João tem o apoio da OBMEP e também da Prefeitura Municipal de Roncador, através das Secretarias de Educação e de Assistência Social e, também da Prefeita Municipal Dra. Marilia Perotta Bento Gonçalves para participar do PIC, que é um prêmio para os medalhistas da OBMEP.

Aproximadamente 20 milhões de alunos participam das Olimpíadas todo os anos, sendo que 500 alunos de todo país ganham medalhas de ouro, distribuídas da seguinte forma: 200 do nível 01, mais 200 do nível 02, já do nível 03 são 100 medalhas. João Vinícius faz parte do nível 02 e ficou em 11º no estado do Paraná em seu nível e em 134º a nível Brasil.

“Estou muito feliz com mais esta conquista, agradeço a Deus, a minha família, a escola e a todos que me incentivaram, espero conquistar mais medalhas, para isso estou tentando melhorar a cada dia, me dedicando muito, pois só assim poderei chegar onde desejo.” garante João Vinícius Primaki Prado.

Na região da Comcam houve apenas mais um Medalhista de Ouro, o aluno Matheus Lima de Morais do Colégio Estadual Marechal Rondon de Campo Mourão. Tivemos também na região diversos medalhistas de prata, bronze e menções honrosas.

João Vinícius e as três medalhas que já ganhou na OBMEP. Foto de Claudinei Prado.
João Vinícius e as três medalhas que já ganhou na OBMEP. Foto de Claudinei Prado.

O que é OBMEP?

A OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP) é um projeto que tem como objetivo estimular o estudo da matemática e revelar talentos na área.

Dentre as realizações da OBMEP destacam-se:

• a produção e distribuição de material didático de qualidade, também disponível pelo site: www.obmep.org.br;

• o Programa de Iniciação Científica Jr. (PIC), para os medalhistas estudarem Matemática por 1 ano, com bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq);

• o Programa de Iniciação Científica – Mestrado (PICME), para medalhistas que estejam cursando graduação com bolsas do CNPq (IC) e CAPES (Mestrado);

• a Preparação Especial para Competições Internacionais (PECI), que prepara medalhistas selecionados pela excepcionalidade de seus talentos para competições internacionais;

• a mobilização de Coordenadores Regionais para a realização de atividades como seminários com professores e cerimônias de premiação;

Iniciada em 2005, a OBMEP vem crescendo a cada ano criando um ambiente estimulante para o estudo da Matemática entre alunos e professores de todo o país.

Texto e fotos dos Jornalistas Claudinei Prado e Jorge Tolim