FINANCIAMENTO – Agricultura Familiar vai receber recursos para negócios sustentáveis

Secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara durante reunião do programa Pró-Rural.Foto: SEAB
Secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara durante reunião do programa Pró-Rural.Foto: SEAB

As propostas de iniciativas de negócios sustentáveis no meio rural, com apoio financeiro do programa Pró-Rural, do governo do Paraná, começam a ser formalizadas a partir do próximo dia 1º, por meio de convênios. Foram aprovadas 25 propostas, no valor total de R$ 5,75 milhões, para viabilizar os empreendimentos das associações de agricultores familiares constituídas nas áreas de territórios e municípios do Pró-Rural. Serão beneficiados 1.400 agricultores familiares.

O edital do programa Pró-Rural para atendimento da agricultura familiar prevê recursos do Banco Mundial e contrapartida do governo do Paraná no valor de R$ 12,8 milhões, em caráter não reembolsável, para iniciativas de negócios sustentáveis que possam impulsionar a geração de renda e de empregos.

O próximo edital será lançado no mês de julho e tem como meta analisar 50 propostas de empreendimentos coletivos, que devem receber financiamentos a partir de fevereiro de 2016.

Os resultados do processo de análise das propostas foram apresentados essa semana ao secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, pelo diretor do Departamento de Desenvolvimento Rural Sustentável (Deagro), Richardson de Souza. Ortigara recomendou a ampliação do apoio para atender também as cooperativas de agricultura familiar e aos agricultores familiares atendidos pelas chamadas públicas de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater).

As propostas contempladas receberão, em média, R$ 230 mil cada uma e vão envolver as principais cadeias produtivas do Estado. Foram aprovadas 10 propostas na área de olericultura; 5 referentes à cadeia produtiva do leite; 3 na área de fruticultura; 2 na área de mel e cultivos florestais e uma proposta cada uma nas cadeias produtivas de grãos, turismo rural e aves, incluindo recursos para atender duas propostas de empreendimentos que vão beneficiar a população indígena e quilombola no Estado.

PRÓ-RURAL - Programa de Desenvolvimento Econômico e Territorial: Renda e Cidadania no Campo é uma ação do governo do Paraná em execução nas áreas mais pobres do Estado, que apresentam dificuldades e desafios socioeconômicos semelhantes. Ele integra uma ação maior, que envolve também outras secretarias de Estado, definida no Projeto Multissetorial para o Desenvolvimento do Paraná, financiado pelo Banco Mundial.

Na Secretaria da Agricultura e do Abastecimento são atendidas associações de agricultores familiares formalmente constituídas no mínimo há um ano, com 70% de agricultores familiares e que possuam sede ou área nos Territórios e municípios do Pró-Rural. A Secretaria conta com o auxílio do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e do Instituto de Terras, Cartografia e Geociências (ITCG) para atuar na organização e capacitação dos agricultores e na regularização fundiária das propriedades.

O programa visa aumentar a competitividade dos agricultores familiares nos oito territórios que envolvem a região central do Paraná e o Vale do Ribeira, de forma sustentável em nível ambiental, social e econômico.

São os territórios Caminhos do Tibagi, Cantuquiriguaçu, Centro-Sul, Norte Pioneiro, Paraná Centro, Vale do Iguaçu, Vale do Ivaí e Vale do Ribeira, onde ainda persistem desigualdades regionais. Estas áreas são caracterizadas por baixa renda e pior acesso às políticas e serviços públicos.

Fonte: AEN – Agência Estadual de Notícias.

Campo Mourão – Bolão Feminino disputou rodada inicial do Estadual

Time de Bolão Feminino de Campo Mourão - PR.
Time de Bolão Feminino de Campo Mourão – PR.

A equipe de bolão feminino do Município de Campo Mourão, comandada pelo técnico Wagner Silva, participou no final de semana, no CTG Cachoeira da Saudade, em Roncador, da primeira rodada do Campeonato Paranaense de Bolão Feminino – Fase Regional. Campo Mourão ficou em segundo lugar, com 1280 pinos, atrás das donas da casa, que foram melhores jogando em seu domínio. Maringá ficou em terceiro e Arapongas em quarto lugar na disputa. A próxima rodada será no dia 7 de junho, desta vez com os jogos em Maringá. Campo Mourão jogou com Juliana, Janete, Luci, Ingrid, Ivanir, Ilda, Rosilene, Nilza, Eleni e Lucia.

Bocha

A equipe mourãoense de bocha, sob comando de Jairo Padilha, disputou em Guarapuava, no final de semana, o Campeonato Paranaense de Duplas – Bocha Regra Mundial. Foram 44 equipes no masculino e 16 no feminino. Os mourãoenses ficam na quinta colocação final. Venceram Curitiba (CSSEX), Céu Azul, Mallet, Foz do Jordão e Guarapuava. Perderam para Chopinzinho, Foz do Iguaçu e Tupãssi. No dia 30 deste mês de maio, os mourãoenses recebem a ALB Londrina, para mais um jogo válido pelo Campeonato Estadual de Equipes.

Ciclismo

Em Maringá, os mourãoenses participaram da 15ª Copa Cidade Canção de Ciclismo, sob o comando do técnico Ari Mateus, no último domingo. O melhor resultado veio com Emanuel Carrera de Andrade, que foi campeão na categoria sub-30.
Todas estas equipes são mantidas pelo Município de Campo Mourão, por meio da Fundação de Esportes. O ciclismo ainda tem o patrocínio do Integrado Colégio e Faculdade.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Campo Mourão – PR

Movimentos vão às ruas contra legalização do financiamento empresarial de campanhas

Proposta de Emenda Constitucional em tramitação na Câmara constitucionaliza o financiamento empresarial de campanhas eleitorais e aprofunda influência do poder econômico nas eleições

Do Observatório

Ato marcou a entrega de 630 mil assinaturas por uma reforma política democrática (José Cruz/Agência Brasil)
Ato marcou a entrega de 630 mil assinaturas por uma reforma política democrática (José Cruz/Agência Brasil)

Cerca de 4 mil pessoas protestaram nesta quarta-feira (20) em frente ao Congresso Nacional contra Proposta de Emenda Constitucional pela reforma política que tramita na Câmara dos Deputados. Entre outros retrocessos, a PEC legaliza o financiamento empresarial de campanhas. O ato fez parte do Dia Nacional de Mobilização Contra a Constitucionalização da Corrupção e marcou a entrega de 630 mil assinaturas coletadas em todo o Brasil pela Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas.

Após caminhada e atividades culturais, uma comissão de parlamentares recebeu representantes da Coalizão, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para a entrega à Câmara Federal das 630.089 assinaturas (entre físicas e eletrônicas) colhidas até aqui – as organizações continuarão o processo de coleta em todo o Brasil. Apesar de ter sido solicitada audiência com o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a Coalizão não foi recebida.

O Projeto de Lei de Iniciativa Popular da Coalizão apresenta uma proposta de representação política mais identificada com a maior parte da sociedade, tendo como quatro pontos principais a extinção do financiamento das campanhas por empresas, a paridade de sexo, eleições proporcionais em dois turnos e aperfeiçoamento de mecanismos de democracia direta.

Origens da corrupção

A mobilização marca a reação da sociedade civil contra o relatório do deputado Marcelo Castro (PMDB-PI) apresentado à Comissão de Reforma Política da Câmara. A proposta constitucionaliza o financiamento empresarial de campanhas eleitorais e modifica o sistema de votação para deputados e vereadores para o chamado “distritão”, aprofundando a influência do poder econômico nas eleições.

“O financiamento por empresas das campanhas eleitorais é uma das principais origens da corrupção no Brasil”, sintetiza dom Joaquim Mol, Bispo Auxiliar de Belo Horizonte e coordenador da Comissão pela Reforma Política da CNBB, uma das 113 entidades que integram a Coalizão.

Os participantes do ato também reforçaram a campanha “Devolve Gilmar”, que cobra do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), a devolução da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) impetrada pela OAB contra o financiamento empresarial de campanhas. Seis ministros já haviam manifestado voto favorável à proibição de doações de empresas, o que já constitui maioria no tribunal, quando o julgamento foi paralisado por um pedido de vista por parte de Mendes – situação que perdura há mais de um ano.

Também visto como um retrocesso, a proposta do “distritão” pretende substituir a eleição proporcional e estabelecer que só serão eleitos/as os/as candidatos/as com maior número de votos em cada Estado. Dessa forma, a proposta aumenta o individualismo dos/as candidatos/as.

“O relatório do deputado Marcelo Castro poderá enfraquecer a atuação dos partidos políticos no processo eleitoral porque aumentará a força do personalismo do nome, sem colaboração partidária, o que é péssimo para a democracia”, afirmou o presidente da OAB, Marcus Vinícius Furtado Coelho. “Sendo assim, o político se sentirá dono de seu mandato e é grande a chance de acabar a importância dos partidos políticos e da representação partidária”, acrescentou ele.

Manobra antidemocrática

A votação do relatório estava prevista para esta terça-feira (19), mas foi adiada para o dia 25 por meio de uma manobra do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), principal articulador da legalização das doações empresariais. Na avaliação do deputado Henrique Fontana (PT-RS), membro da comissão e opositor da proposta, a ação de Cunha, que tenta substituir o relator da matéria e encaminhar as questões diretamente ao Plenário, é antidemocrática.

“Votar direto no Plenário é uma agressão à Comissão e à institucionalidade que deve haver dentro da Casa”, defende Fontana, que avalia que a ação de Cunha se deu por medo de uma derrota dentro da Comissão. “Queremos a garantia de ver o projeto votado, sem manobra regimental como aconteceu ontem, que nos impediu de votar na Comissão. O presidente da Casa tem que respeitar o regimento. Ele quer criar no Parlamento a reforma que ele defende. Precisamos ter o direito de votar dentro do regimento na Comissão e no parlamento, destacando o financiamento empresarial para que possamos ver quem tem maioria e minoria”, afirma.

Com informações da Rede Brasil Atual e da Agência Brasil
Retirado do Site: https://observatoriosc.wordpress.com/

cabecalho_observatorio_final2

SERVIDORES DA EDUCAÇÃO – Governo paga R$ 6,7 milhões de terço de férias e adicional por tempo de serviço

O Governo do Paraná pagou nesta segunda-feira (09) R$ 6,7 milhões referentes ao quinquênio e ao terço de férias para professores e funcionários da Secretaria de Estado da Educação. Os valores foram depositados na conta de 14.926 servidores.

O chamado quinquênio é um adicional que prevê acréscimo de 5% a cada cinco anos de exercício das atividades do servidor público, até completar o percentual de 25% por serviço público efetivo prestado ao Estado. Esse adicional por tempo de serviço foi pago a 11.221 servidores da Educação (professores e funcionários). Já o terço de férias foi depositado para 3.705 servidores.

CONTRATAÇÕES – Somente neste ano, 5.981 novos professores ingressaram na rede estadual. Eles foram aprovados no último concurso público, em 2013. Nos últimos quatro anos foram contratados 17.672 novos professores e pedagogos pelo Governo do Paraná. Além disso, a hora-atividade – tempo reservado ao docente para preparar aulas, atividades em geral e corrigir provas e trabalhos –foi ampliada em 75%.

Fonte: AEN – Agência Estadual de Notícias

Campo Mourão – Dia do Desafio foi lançado no SESC

(c) Divulgação
(c) Divulgação

Representantes de municípios da região de Campo Mourão estiveram no SESC – Serviço Social do Comércio na manhã desta terça-feira (5) para o lançamento do Dia do Desafio 2015, que acontecerá no dia 27 de maio. O evento contou com a presença do diretor do Sesc, Marcos Batista de Souza, da prefeita Regina Dubay e da vereadora Nelita Piacentini.

O “Dia do Desafio” é a pratica de pelo menos 15 minutos consecutivo de qualquer atividade física, em prol da adoção de um estilo de vida saudável e socialmente participativo. O Dia do Desafio foi criado no Canadá e vem sendo difundido mundialmente pela TAFISA – Trim & Fitness International Sport for All Association, entidade alemã de promoção do esporte para todos.

O diretor do Sesc Marcos Batista de Souza, falou da importância do envolvimento a cada ano maior da comunidade, explicando que o Dia do Desafio é um movimento mundial de incentivo à prática regular de atividades físicas em benefício da saúde e do bem-estar.

Por sua vez, a prefeita Regina Dubay argumentou sobre os benefícios da prática de exercícios físicos diariamente. Ela falou da atuação de Campo Mourão e região nos últimos anos e disse acreditar na vitória. “Vamos mais uma vez demonstrar que somos campeões. Desta forma incentivaremos a todos ter uma vida melhor”, declarou Regina.

Dia do Desafio - Com um conceito simples, o evento incentiva cidades dos cinco continentes a promover a prática da atividade física diária, ressaltando a importância do esporte e do lazer para a manutenção da saúde. Realizado anualmente, sempre na última quarta-feira do mês de maio, o Dia do Desafio propõe que as pessoas interrompam suas atividades rotineiras e pratiquem, durante 15 minutos consecutivos, qualquer tipo de atividade física.
Nesse dia, cidades do mesmo porte estabelecem uma saudável competição para tentar mobilizar a maior porcentagem de pessoas, em relação ao número oficial de habitantes.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Campo Mourão – PR

 

REDE ESTADUAL – Horta hidropônica é ferramenta de ensino e motiva alimentação saudável

Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Colégio Estadual Professor Teobaldo Leonardo Kletemberg tem horta hidropônica. Na foto, o professor Walney Rogério e o diretor Silberto Cardoso. Foto: Hedeson Alves
Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Colégio Estadual Professor Teobaldo Leonardo Kletemberg tem horta hidropônica. Na foto, o professor Walney Rogério e o diretor Silberto Cardoso. Foto: Hedeson Alves

Há três anos, os alunos do Colégio Estadual Teobaldo Leonardo Kletemberg, no bairro Novo Mundo, em Curitiba, ganharam uma nova ferramenta para as aulas práticas de Ciências, Biologia, Matemática, História e Filosofia. Uma horta hidropônica – na qual as plantas são mantidas em água e não no solo – foi construída com a ajuda da comunidade escolar para mostrar aos estudantes, na prática, como é o processo de evolução das plantas, além de incentivar o consumo de alimentos saudáveis.

A estufa, que tem seis metros de largura e quinze de comprimento, foi construída com recursos da Associação de Pais, Mestres e Funcionários (APMF) e arrecadações da escola. A horta chega a produzir cerca de 600 pés de alface a cada safra e outras hortaliças que incrementam a merenda servida aos 1.700 alunos do ensino fundamental e médio.

Entretanto, o objetivo principal não é a produção em si, mas oferecer aos estudantes um espaço para atividades pedagógicas diferenciadas que incluem exercícios práticos de Biologia, Matemática e Química, além de pesquisas em História e Filosofia.

De acordo com o diretor Silberto Cardoso, a ideia de construir uma horta pedagógica surgiu durante a Conferência do Meio Ambiente, realizada anualmente na escola para discutir com a comunidade soluções que alinhem educação ambiental ao cotidiano das crianças e adolescentes. “Debatemos junto com a comunidade quais as ferramentas podem ampliar as atividades pedagógicas e, assim, enriquecermos o conhecimento dos alunos”, disse.

Os mais de 100 alunos que participam das ações em contraturno escolar pelo programa Mais Educação, do Ministério da Educação (MEC), também ganharam uma atividade a mais. Agora, além das aulas de taekwondo, música, jornal e letramento, os estudantes que permanecem na escola têm aulas de ecologia e meio ambiente.

COMO FUNCIONA – A horta funciona pelo processo de hidroponia, no qual as plantas recebem apenas o que necessitam para se desenvolver: água e sol, o que torna os alimentos mais nutritivos e saborosos.

São utilizados cerca de dois mil litros de água. O sistema é simples. Uma caixa de água e uma bomba alimentam os canos que mantêm irrigadas todas as plantas, sem o contato com o solo. Ali são produzidas verduras, hortaliças e outras plantas pequenas.

O projeto também chamou a atenção dos pais que visitam a escola para conhecer a nova horta. “Os pais aproveitam para conhecer o projeto. Alguns já estão copiando e criando a própria horta em casa”, revelou Silberto. Com isso, além de colaborar para o processo de ensino, a horta desenvolve nos alunos o hábito de consumir alimentos saudáveis, livres de agrotóxicos.

O espaço será ampliado. Além da hidropônica, a escola também vai construir uma horta 100% orgânica e outra convencional. “São espaços que oferecem aos alunos a oportunidade de ter contato direto e acompanhar o desenvolvimento das plantas, o que hoje é raro hoje em dia nos grandes centros urbanos”, lembrou o professor de Ciências, Walney Rogério Pereira.

Fonte: AEN – Agência Estadual de Notícias

ESTACAS NA ÁGUA – Porto de Paranaguá começa as obras de reforço do cais

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) cravou nesta semana, na Baía de Paranaguá, a primeira estaca da obra que irá reforçar o cais do Porto. Paranaguá, 16/04/2015. Foto: Divulgação APPA.
A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) cravou nesta semana, na Baía de Paranaguá, a primeira estaca da obra que irá reforçar o cais do Porto. Paranaguá, 16/04/2015. Foto: Divulgação APPA.

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) cravou nesta semana, na Baía de Paranaguá, a primeira estaca da obra que irá reforçar o cais do Porto. Serão colocadas 500 estacas, sendo 190 na água e 310 na estrutura do cais.

Fruto de um investimento de R$ 89 milhões, a reforma vai preparar o porto para suportar operações mais pesadas e permitir a dragagem de nivelamento de todos os berços para uma profundidade maior, oferecendo mais segurança para navegação e atracação dos navios.

A primeira estaca foi cravada no berço 208, trecho mais antigo do cais, que preserva algumas características de quando o porto foi criado, na década de 30. Atualmente, esta parte do porto tem profundidade de apenas oito metros e o cais suporta operações de até duas toneladas por metro quadrado, o que restringe as operações. Com a obra, o berço poderá ser dragado para 13,8 metros e vai aguentar uma pressão de cinco toneladas por metro quadrado.

Segundo o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino, a reforma do cais é mais um dos compromissos assumidos pelo governador Beto Richa com o intuito de dar maior produtividade ao porto e modernizar os berços de atracação.

“Teremos um cais inteiramente preparado para uma dragagem que nivele a sua profundidade. Assim, todos os berços poderão operar com guindastes mais pesados e vamos poder atracar navios com cerca de 80 mil toneladas”, afirma Dividino. Hoje, os maiores navios graneleiros que chegam a Paranaguá carregam 70 mil toneladas, no máximo.

A última reforma de estrutura do cais do Porto de Paranaguá foi feita no início da década de 90.

OBRA – A obra de reforço vai acontecer ao longo de todo o cais comercial, dos berços 202 a 214. A obra será dividida vários trechos para não prejudicar a movimentação das cargas. A expectativa é que a intervenção seja finalizada até a metade do ano que vem.

“Ao longo da obra, também serão trocados os cabeços de amarração, onde o navio é amarrado quando atraca, por peças com o dobro da capacidade. O porto será preparado para a instalação de novas defensas, que são estruturas que suavizam o impacto do navio ao encostar no cais”, explicou o diretor de Operação da Appa, Luiz Teixeira da Silva Júnior.

A OBRA - A reforma consiste em cravar uma série de estacas e instalar diversas vigas para reforçar a estrutura do cais. São cerca de 190 estacas de concreto armado que serão instaladas na beirada do porto.

Estas estruturas têm 26 metros de comprimento e pesam mais de 20 toneladas cada. Em uma área poucos metros mais recuada, outras 300 estacas mais finas também perfuram o solo, dando mais resistência ao piso.

A reforma faz parte de uma série de obras e investimentos que os Portos do Paraná vêm recebendo ao longo dos últimos anos.

São R$ 511 milhões em obras de melhoria, infraestrutura e projetos estruturantes. Ao longo deste ano, por exemplo, já foram instalados dois novos shiploaders (carregadores de navios) e até o final do ano deverão ser inaugurados outros dois.

Em três anos, três campanhas de dragagem devolveram a profundidade original aos canais de acesso e berços de atracação dos portos de Paranaguá e Antonina. As vias de acesso ao Porto de Paranaguá e as ruas do entorno também foram recuperadas.

Fonte: AEN – Agência Estadual de Notícias

MOMENTO SABOROSO – Palha Italiana

Palha Italiana.
Palha Italiana.

Ingredientes

1 lata(s) de leite condensado
3 colher(es) (sopa) de chocolate em pó
1 colher(es) (sopa) de margarina
1 pacote(s) de biscoito maisena

Como fazer

Coloque numa panela o leite condensado, o chocolate e a margarina.
Faça um brigadeiro mole.
Quando começar a soltar da panela, desligue o fogo.
Quebre o pacote de biscoitos de maisena e junte ao creme.
Unte uma forma com margarina e espalhe a massa.
Deixe esfriar e corte em pequenos quadrados.
Sirva.

Rendimento: 15 porções Tempo de Preparo: 20 minutos
Cozinha: Italiana
Receita indicada por Claudia Di Stasi

Retirado do Site: www.cybercook.com.br

Campo Mourão – Prefeita visita novo supervisor do DNIT

(c) Divulgação.
(c) Divulgação.

A prefeita Regina Dubay visitou na manhã desta sexta-feira (17) o supervisor do DNIT de Campo Mourão Elcio Guerino Filho. O encontro teve como finalidade tratar da instalação do semáforo da entrada do Lar Paraná e da conclusão da pavimentação da BR 487 ( Estrada Boiadeira). O engenheiro Paulo Inglês acompanhou o encontro.

Na oportunidade o Elcio Guerino informou que o projeto para a instalação do semáforo da entrada do Lar Paraná está sendo concluído. E a pavimentação da BR 487 também esta sendo concluída faltando aproximadamente três quilômetros do trecho que segue de Nova Brasília à Tuneiras do Oeste.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Campo Mourão – PR

Recife (PE) – Cachorro mascote dos bombeiros morre atropelado

(Foto: GBMar/Arquivo Pessoal).
(Foto: GBMar/Arquivo Pessoal).

Militares do Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar) amanheceram tristes na manhã desta quarta-feira (15), dia seguinte da morte do cachorro mascote da coorporação, um vira-lata que vivia há 10 anos no local. “Jet” ganhou este nome por causa do costume do animal de correr atrás do jet ski utilizado pelos profissionais para realizar salvamentos na praia.

O “cachorro bombeiro”, como era conhecido, chegou por conta própria no grupamento e cativou a todos rapidamente. Segundo o Tenente Honorato, que convivia com o cão, Jet seguia os militares em caminhadas, simulações e salvamentos. “Ele era um animal muito esperto, andava conosco um percurso de 6 a 8 km, do Hospital da Aeronáutica para o Pina”, relata.

De acordo com o tenente, o cachorro era atento e latia quando via alguma vítima de afogamento. Quando o jet ski do GBMar entrava na água, o animal ia atrás e chegava a subir no veículo aquático algumas vezes. Em simulações, os bombeiros colocavam a alça do rescue tube, usado para salvamentos, no pescoço de Jet, que levava o equipamento até a “vítima”, que estava longe.

“Os militares, principalmente as mulheres, cuidavam de Jet, levando para o veterinário, dando comida e banho”, explica. Ainda segundo o tenente Honorato, o cachorro era conhecido nos arredores do quartel do GBMar, no bairro de Piedade, em Jabotão dos Guararapes, Grande Recife.

Na noite dessa terça, os bombeiros foram surpreendidos com a notícia de que Jet havia sido atropelado na Avenida Ayrton Senna, por trás do quartel do GBMar. Uma viatura chegou a ser enviada ao local, e foram feitos os primeiros socorros no cachorro. “Ele teve uma parada cardíaca, o socorro conseguiu reanimá-lo, mas foi só chegar no GBMar, ele olhou para onde estava, desmaiou e não voltou mais”, lamenta o tenente.

Jet foi sepultado em um local próximo ao quartel do GBMar, na noite da terça. Uma bandeira de guarda-vidas foi colocada, para lembrar do serviço prestado pelo cachorro bombeiro.

Quem também sente a falta do cachorro é a “viúva”, uma cadela que vive no grupamento. “Colocamos o nome de Bis, que é Bote Inflável de Salvamento. Ela era a namorada de Jet e ficou cheirando ele quando morreu”, conta. O GBMar não sabe quem teria atropelado o animal.

Fonte: NE 10

Retirado do Site: www.anda.jor.br

anda-logo-frase